Iberian I1

  • 142 members

About us

About the I1 haplogroup:

According to The Genographic Project, haplogroup I1 arose during the Last Glacial Maximum in Iberia, between 15,000 and 20,000 years ago. However, due possibly to a population bottleneck, the most recent common ancestor of all current I1 men lived between 4,000 and 6,000 before the present.

Sobre o haplogrupo I1:

De acordo com o Genographic Project, o haplogrupo I1 teria surgido durante o Último Máximo Glacial na Ibéria, entre 15.000 e 20.000 anos atrás. Entretanto, talvez devido a um efeito de gargalo populacional, o ancestral comum mais recente (MRCA, na sigla em inglês) de todos os homens I1 atuais viveu entre 4.000 e 6.000 anos atrás.

Saiba mais sobre nossos participantes e seus ancestrais em nossa página de resultados.

Sobre a Genealogia Genética:

De que consistem os testes de 12, 25, 37 ou 67 marcadores, comumente discutidos em Genealogia Genética? Esses números se referem a microssatélites que são úteis à genealogia por apresentarem taxas de mutação balanceadas, de forma que certa quantidade de resultados semelhantes no conjunto desses marcadores (microssatélites) indica um ancestral comum na varonia em tempos genealógicos - ou seja, após a adoção de sobrenomes na Europa, por volta dos anos 1.300.


Os marcadores - microssatélites, ou STRs na sigla em inglês - são passagens do cromossomo Y que apresentam repetição de bases (A,T,C,G). Cada marcador apresenta um número específico de repetições. Uma mutação aumenta ou diminui o número de pares de bases apresentado. Por exemplo, se o par de marcadores YCA II a e b costuma apresentar 19 e 21 pares de bases, respectivamente, uma mutação em YCA II a pode levar a 20 e 21 no par YCA II a e b. Os descendentes do indivíduo que apresentou essa mutação em YCAII terão os mesmos resultados entre si, e assim saberão que descendem de um mesmo ancestral.

Leia aqui uma introdução ao Guia Prático de Genealogia Genética.

Para saber mais sobre a Genealogia Genética, participe também de nosso grupo de discussão no Facebook e do fórum em GenealogiaGenética.com